quinta-feira, 2 de junho de 2016

Audição | Peticionários da Petição n.º 92/XIII/1ª Alteração do Regime Juridico da Educação Especial

Sem dúvida foi uma experiência muito rica e intensa. O nervosismo e ansiedade era imenso. Tínhamos 10 minutos para expor as nossas preocupações e fundamentar o nosso pedido de alteração do regime de ensino especial.
Cerca de 15 pessoas com grande peso de decisão estavam disponíveis para nos ouvir. Através de um contador digital conseguíamos ver o cronometro do tempo. Com a voz a tremer e num tom muito emotivo consegui. Depois num discurso mais racional e formal esteve o @André Valarinho estou tão orgulhosa! Fazemos um excelente dupla.
Reforçamos todos os pontos já discutidos e abordados aqui:
Como mãe de um menino com um diagnóstico do espetro do autismo, sou parte interessada nesta luta e apresento o João como exemplo.
De facto a lei só prevê medidas para casos leves e casos extremos. Mais do que descobrir a cura é permitir que crianças NEE sejam incluídas na sociedade, com qualidade de vida, respeito pelos mesmos como seres e crianças que são, e acima de tudo pelos seus sonhos.
Desde que uma criança é sinalizada com este tipo de diagnóstico, é automaticamente rotulado e começa a pressão para a sinalização com CEI e em vez de nos focarmos no trabalho e conquistas que temos pela frente, começa a nossa luta contra este preconceito e descriminação.
E usando o João como exemplo, a verdade é que o João não lia, não escrevia ... Mas cada etapa foi vencida. Mas etapas vencidas com muita luta e sofrimento. Com uma medida intermédia, seriam anos que não se perderiam. E acima de tudo permitiria trazer estabilidade para estas crianças, que todos os anos têm de fazer novos amigos, conhecer novos professores, e novos professores começarem todo um trabalho do zero. Com o final do ano letivo, já temos o João a perguntar qual será a sua nova turma, como serão os seus novos amigos, quais serão os seus professores... Perguntas para as quais não temos resposta e que vai aumentando toda a sua ansiedade, por toda a instabilidade que esta situação traz.
O que se pretende é um ensino justo com as mesmas oportunidades para todos.
Todos sabemos que a aplicação do CEI em casos não extremos traz consequências indesejáveis e desnecessárias. Por isso é fundamental uma medida intermédia, para que seja possível estas crianças irem atrás dos seus sonhos e não lhes seja imposto algo que é a sociedade que define o que tem para eles.
Depois da nossa intervenção foi a vez dos srs. Deputados através do representante de cada grupo parlamentar com 3 minutos cada um. Alguns tiveram de ser chamados atenção para o tempo, justificando-se que se tinham entusiasmado com o tema. Foi abordado a necessidade de abranger esta zona cinzenta, de permitir estas crianças sonharem e serem felizes! Gostei bastante da intervenção de todos, em que alguns deixaram-me bastante orgulhosa e emocionada. A nossa presença e intervenção fazia sentido para todos.
O que concluímos é que existe uma preocupação por parte de todos, mas na verdade não têm a certeza sobre como alterar a lei que consiga abranger e beneficiar estas crianças na dita zona cinzenta, como tantas vezes lhes chamaram.
Passo seguinte? Temos 2 caminhos e nenhum deles vamos descartar.
Reunir 35.000 assinaturas, constituir uma comissão e levar uma proposta de lei para aprovação através de iniciativa legislativa de cidadãos. E no imediato vamos fazer um resumo e mais uma vez fundamentar o nosso pedido. Não podemos deixar o lugar da cadeira que ocupamos arrefecer. É preciso continuar a insistir que mais do que discutir qual a melhor medida a aplicar, como alterar, o que alterar; é preciso agir.
Todos concordaram que os problemas estão identificados, portanto com o fim do ano letivo a chegar, não podemos deixar passar mais um ano a discutir este tema. Não conseguindo distanciar-me na proximidade com que vivemos este problema diariamente conclui dizendo que agora é preciso agir... E num tom muito emotivo finalizei: é urgente!
Quando saímos tivemos alguns deputados que fizeram questão de nos cumprimentar, como que nos dando força para continuar, sentindo-se solidários connosco e felizes por existirem pais preocupados e envolvidos. E estes pais preocupados e envolvidos não somos só nós, pois também enviaram um agradecimento para todos os peticionários ☺️
Talvez o que consigamos já não vá a tempo para o João, mas que seja para os seguintes. Nunca será em vão.
Vale sempre a pena esta luta! ...

domingo, 3 de abril de 2016

Petição Publica | Viver com o autismo - 2 de Abril - Dia Mundial da Consciencialização do Autismo




Viver com o autismo
Muitas crianças com autismo ligeiro vão crescer e ser capazes de viverem a sua vida de forma quase autónoma. Mas aqueles com autismos mais profundos vão sempre precisar de ajuda. Mas não vamos esquecer que todas as crianças autistas podem ter uma vida feliz se tiverem o apoio e amor dos pais, irmãos, família, médicos, professores e colegas.
As crianças autistas, tal como todas as crianças, são diferentes no comportamento e habilidades. Todas as crianças com autismo têm sintomas diferentes, o que torna difícil diagnosticar o autismo. Um sintoma pode ser fácil de ver numa criança e não se ver noutra.
No dia 2 de Abril assinala-se o Dia Mundial da Consciencialização do Autismo. A data, instituída pela ONU em 2007, pretende ser um marco na sensibilização e na homenagem a todas as pessoas e respectivas famílias que todos os dias vivem esta realidade, enfrentando geralmente muitas dificuldades e discriminações.

Tão importante quanto descobrir a cura, é permitir que os autistas de hoje sejam incluídos na sociedade e tenham mais qualidade de vida e respeito pela mesma.

Hoje, dia 2 de abril, Dia Mundial da Consciencialização do Autismo, a petição é submetida na plataforma da assembleia com 4400 assinaturas para dar continuidade ao pedido de alteração na lei do regime especial.
A Peticao continua disponível para partilhar e assinar.
http://lm.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fpeticaopublica.com%2Fpview.aspx%3Fpi%3Deducacaoespecial&h=uAQEuyt1p&s=1

Parabéns | Feiz 13 anos!


Quando fazemos as nossas escolhas não podemos adivinhar os imprevistos da vida e nem sempre estamos preparados para enfrentá-los. Muito difícil no início aceitar e até mesmo compreender, mas a vida é assim e tudo vai acontecendo.
Há 13 anos nasceste. Vieste para mudar profundamente a minha vida.
Não sou mais a mesma pessoa desde o dia em que nasceste. A tua existência mudou a minha personalidade. Chegaste e fizeste de mim uma pessoa melhor!
Faltam-me palavras para expressar tudo o que penso e sinto por ti.
Parece que foi ontem, e ao mesmo tempo parece que foi há muito tempo.
Uma jornada cheia de sentimentos, surpresas, desafios, conquistas, alegrias e muito amor.
És o meu filho e o que mais desejo é ver-te feliz!
Faço tudo por ti, e parece que por vezes faço mais do que deveria, pois dizes-me: Mãããeee! Não sou bebé, sou um adolescente! - e é neste momento que percebo o tempo que já passou.
Dedico-me, não me esforço, não és trabalho, não és um fardo.
Contra tudo o que diriam que conseguirias e não conseguirias fazer, aprendeste a ler, a escrever, vi-te a enfrentar o desafio de frequentar a escola, conviver com outras crianças, a socializar e a vencer cada uma destas etapas.
Para alguns pais, uma fase difícil, para mim? Adorável!
Ouvir-te a chamar-me mãe é mais do que gratificante… é intenso!
Algumas pessoas admiram-me pelo meu caminho de lutas e vitórias que tenho contigo. Habitualmente sorrio! E na verdade pergunto-me: admiram-me porquê? Viver e conviver contigo é um prazer! Não se nota?
Desejo que enfrentes o mundo, ultrapasses as tuas barreiras, que sejas o que tu quiseres, que faças o que quiseres fazer... Já quiseste ser o ninja sossegado, diretor de escola de "dreds", e agora queres ser dançarino e grafiter.
Quero que saibas que eu, tua mãe estarei lá para te apoiar no que quiseres ser. Onde quer que vás, estarei sempre contigo.
Sou privilegiada em te ter como meu filho, e nestas alturas, como hoje, o dia do teu aniversário, quero presentear-te com uma só palavra. Uma palavra que expresse tudo o que sinto por ti... Só posso dizer: Obrigada!
Obrigada por me amares, obrigada por seres meu filho!
Feliz 13 anos! 💙

Petição Pública | 4.300



4.300!
Agradeço a todos que assinaram a petição e nos apoiaram na nossa luta pela alteração do regime jurídico da educação especial.
Todos juntos, conseguimos juntar as 4.000 assinaturas que nos vai permitir dar voz. Acredito que com o vosso apoio vamos ter mais força para conseguirmos a aprovação desta mudança e beneficiar todas as crianças NEE de Portugal.
Todo o progresso que conseguirmos na melhoria do regime jurídico da educação especial deve-se a todos os que se juntaram a esta causa.

Muito obrigada!
Sofia Paço

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=educacaoespecial

Petição Publica | Na Rtp 1

http://media.rtp.pt/blogs/agoranos/videos/tudo-por-um-filho
Focar no objetivo principal: chegar às 4000 assinaturas:
Devem assinar com nome completo e de preferência com número cartão cidadão. Esta é uma luta de todos nós.
Obrigada por toda a força que nos têm dado!
http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=educacaoespecial

_____________________________________________________________________________

Embora quase nas 4000 assinaturas, é preciso continuar a partilhar para continuar a crescer e ganhar voz, por um ensino justo e com as mesmas oportunidades para todos.
Devem assinar com nome completo com número cartão cidadão. Esta é uma luta de todos nós.
Obrigada por toda a força que nos têm dado!
http://media.rtp.pt/blogs/agoranos/videos/tudo-por-um-filho

Petição Pública | Persistência é o caminho do êxito.

Hoje a partlha é com um rosto muito especial!

Persistência é o caminho do êxito. Charles Chaplin

Já ultrapassamos às 1000 assinaturas. Obrigada!
O desafio agora é chegarmos às 4000 assinaturas. Já conseguimos alertar para o problema, mas com as 4000 assinaturas vamos promover a discussão.
Devemos continuar PARTILHAR e ASSINAR!

4ª feira, dia 2 de março, vamos estar no programa Agora Nós, rubrica Agora Tânia, a passar na RTP1, a partir das 15h e vamos falar da importância desta petição • DIFERENTES sim mas com direitos iguais.
A lei deve ser para todos, geral e abstracta, e por isso deve contemplar medidas educativas para todos os casos. Alteração da lei que neste momento só prevê medidas adequadas para casos "leves" e os casos "extremos".

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=educacaoespecial

Vou lutar até ao fim pelo que acredito ser o melhor para o meu filho e para todos os que estão na mesma situação.

PEI | o que é o PEI

Se todos os professores soubessem que um PEI é um documento normativo e obrigatório o seu respeito, tudo seria mais fácil... nomeadamente não se perderiam anos de aprendizagem, que prejudicam, apenas e unicamente as crianças...

http://www.cedema.org.pt/docs/Manual%20ApoioDecretoLei3-2008.pdf