domingo, 9 de julho de 2017

Partilha | O Presente é só o início

O Presente é só o início.
Estou tão orgulhosa de ti!
 


NEE | Proposta de CEI


Infelizmente os nossos dias de glória tiveram pouca duração. Hoje tivemos reunião na escola do J. e na elaboração do RIA para o próximo ano letivo retiraram todos os apoios e simplesmente propuseram um CEI com frequência somente de disciplinas música ET e EV... Entre vários argumentos, o 6º ano é um ano difícil, o J. sofre muita pressão para acompanhar matérias e muito nervoso nos testes, dos quais têm que ser adaptados e realizados em sala à parte... A capacidade de adquirir matérias é muito primária, dependente do adulto para sucesso escolar... Simplesmente estou louca e mais uma vez deixamos registado no documento os direitos legais do J.... Brevemente faço um post sobre o tema ... Vergonhoso! 

Desistiram... E de forma tão desleal... Hoje não posso de forma alguma escrever mais sobre isto, pois estou tão zangada, tão frustada, tão cansada, tão sem energia, tão fula ... tudo o que escrevo será demasiado agressivo ... Já tive a minha crise de choro... Acho que ainda não vai ficar por aqui... Mas vou levantar e com todas as minhas forças vou mostrar que estas pessoas não sabem com quem se meteram... Não me vencem pelo cansaço e não permito que impeçam o meu filho de sonhar e voar!
Com uma letra de quem estava furiosa e a conter toda a emoção para não escrever tudo o que sentia, segue um exemplo de texto do que poderão escrever no documento que propõe um CEI a expor os vários motivos, nomeadamente legais, para não aceitarem esta medida.


Aproveito para informar que não se devem iludir com a nova proposta de legislação.
Cá por casa estamos a analisar o diploma... Temos boas e más noticias... Estamos André Valarinho a fazer uma análise mais profunda e posteriormente teremos de discutir formas de lançar debate, até para conseguirmos a interpretação de outras pessoas... Temos de conseguir ter a atenção para que sejam alteradas as más noticias... sendo que as más, se entrarem em vigor, são assustadoras!

Brevemente iremos partilhar a nossa opinião, e por favor, façam todos os vosso contribuo. Temos de dizer basta! Temos de nos fazer ouvir! ... bem alto!
... Começo a ficar bastante assustada com algumas delas... Não entendo como chegam a estas conclusões...

Juntos somos mais fortes! 💙

No final da tarde valeu-me ter ouvido do J.: mãe, és a melhor do mundo! 💙
(claro que desmanchei a chorar... ..)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Passagem para 6o ano letivo

É com emoção (confesso, muita, muita emoção, que não contenho as lágrimas. Lágrimas de tanta felicidade...) que recebi a notícia que o J. passou de ano. Mais um muro derrubado. 
Depois de alguns anos  de uma luta contra o CEI, anos a tentar interpretar a lei,  anos a exigir o cumprimento da lei, a pedir testes lidos, testes adaptados, apoio individual com professores tutores da disciplina, muito acompanhamento individual diário pelos professores, de muita luta contra o preconceito, descriminação e exclusão, finalmente, após 4 vezes a frequentar o 5º ano, consegue passar... Não foi perfeito, não foi fácil... Estes últimos 6 anos foram  uma luta feia, injusta e desleal, mas as noites sem dormir, tantas noites a chorar e no dia seguinte erguer-me com todas as forças, era necessário provar ao Mundo como estavam enganados, luta contra o tempo, tempo que a sociedade estipula, mas diferente daquele que o J. vive, sente e precisa... Mais uma barreira derrubada, mais um muro destruído... Temos ainda uma longa estrada... Uma longa estrada cheia de obstáculos, barreiras e muros. Mas aqui estamos nós, para quem nos tanto disse que o J. não iria falar, não iria frequentar uma escola de ensino regular,  não iria ler nem escrever, que não conseguiria estar em sala de aula... Sem dúvida que nada aconteceu no tempo estipulado pela sociedade, mas no seu tempo, com as devidas adaptações, conseguiu! Sempre acreditei que este dia chegaria.
É preciso que a lei mude, para que não sejam precisos outros 4 anos para fazer o 6º ano ou que centenas de crianças sejam arrastadas para o CEI, ou por desconhecimento dos pais, ou por extremo cansaço face à pressão que é feita, ou por desconhecimento da lei...
Nós não vamos desistir, mas com alteração da lei ou não, cuidado, pois     não vamos permitir que isto volte acontecer.
Agora é tempo de refletir no que resultou, no que não resultou, do que temos de melhorar e continuar a trabalhar ... Para que o próximo ano letivo seja de oportunidades iguais para todos...
Quem não acredita nas nossas crianças não está na profissão  certa. Quem não acredita nas suas capacidades não está apto para trabalhar com elas.
Mas tenho de reconhecer que este ano, apesar de todas as dificuldades, "discussões" em reunião, o J. esteve rodeado de alguns professores e uma diretora de escola  à altura deste desafio e por isso seria injusto ficarmos com todos os  louros deste sucesso. Obrigada!
Para ti J. continua a trabalhar como trabalhaste, com empenho e dedicação e para o  resto da luta estamos cá nós @André Valarinho na luta da defesa dos teus direitos.
Jamais vou deixar-te sozinho, terás  sempre a minha  mão amiga, o meu apoio e o meu eterno carinho para te acompanhar nesta estrada cheia de obstáculos, barreiras e muros que sei que irás saltar ou derrubar para seguires em frente, sem medo e concretizares os teus sonhos.


A força maior que nos move é a tua persistência e vontade de vencer e viver.


É porque a vida destas crianças é feita de conquistas diárias e não por etapas,  acredito  que esta  conquista é a continuação de muitas outras  💙