quarta-feira, 3 de outubro de 2007

TEACCH

Muito falado, muito explicado.
Para mim e para o João? Fabuloso.
Para muitas crianças o método Teacch ajuda na comunicação, quando a mesma tem ausência de linguagem. Para o João, que tinha uma linguagem, mas muito primária, tem sido um sucesso. Mas o interessante é que não é só útil para meninos problemáticos! O José, adora que todo este método seja aplicado com ele. Para além de se sentir integrado, sente-se mais organizado!

Este método tem ajudado-os a compreender tudo o que se passa à volta deles e reagir de acordo com esse ambiente.

Claro que o método Teacch é muito mais que isto! Mas não pretendo aqui explicar no que consiste este método. Quero apenas partilhar a forma como ele tem contribuido para a evolução positiva do João.

Acontece que este método só resulta se for executado em equipa. Tem de existir uma relação e continuidade do trabalho feito pela terapeuta. E disso eu não abro mão. Mesmo que isso passe por ter de retirar tempo meu. Mesmo que deixe de ter vida própria. Sei que deveria dedicar mais tempo a mim, mas esse tempo é precioso para o José e para o João. Como tal, não posso desperdiçar nenhum minuto. Não posso correr o risco de o João não conseguir ser independente e me ver na agonia que muitos pais vivem de não saberem onde colocar os seus filhos. Não posso permitir que o João se torne num autista adulto inadaptado! Tenho que lhe dar a oportunidade de conseguir a maior autonomia possivel.

Não posso parar, como já disse, não vou correr o risco que o João regrida, pois essa regressão pode ser irreversível!
O João e crianças como ele, não podem parar, têm de estar sempre a ser estimuladas. Não podemos hesitar.

O João consegue neste momento comandar o seu corpo.
Tem dificuldades na motricidade fina, mas que eu acredito que também essa dificuldade vai conseguir ultrapassar. E não será de uma forma estereotipada!

Neste momento, alguns dos seus progressos são estereotipados. É visivel em muitos diálogos que tentamos ter com o João. Constrói frases muito elaboradas, possui um vocabulário extenso, mas na verdade, muitas vezes fora do contexto! MAS...!!! Mas é um grande passo!

E agarrada a esses passos, a esta evolução, a este estado, que me recuso a baixar os braços, independentemente das dificuldades que vão surgindo, independentemente de algumas pessoas importantes na sua vida recusarem-se a colaborar e perceber a importância deste trabalho.

Mas ver o João que:

- Não tinha capacidade de ler a minha expressão facial -
"Mamã, tás tiste?"

- Não brincava ao faz de conta -
"Mamã, olha eu andar de surf!" - e estar em cima do sofá com os braços abertos, a fazer equilibrio em cima da suposta prancha...

Como posso eu fechar os olhos?
Como posso eu baixar os braços?
Como posso eu desistir?

...

4 comentários:

Grilinha disse...

Que bom ler-te. É isso amiga. Todos temos altos e baixos...mas interessa é voltar ao ânimo...interessa é batalhar...SEMPRE. E um dia vais poder orgulhar-te de como tudo correu, vais ver ! Um beijo também mais animado

kyya disse...

Fico muito feliz por saber que o João está a progredir bastante :D Todo o investimento é necessário e, quem não dá importancia a evoluções e métodos tão importantes um dia apercebe-se que perdeu o melhor da vida, o investimento e amor numa criança mais que especial e que merece tudo. De certeza que o João tem imenso orgulho de ter uma Mãe com M grande. Bjinhos e força

Bruno Rebelo disse...

Amiga e isso tudo enquanto tiveres força luta pelo que sera sempre teu...nao ligues aos comentarios ou as atitudes más das pessoas mas sim ao que de melhor tens na vida.Um beijo muito grande para a minha amiga guerreira....que orgulho tenho em ter uma amiga assim. FORÇA MAMA.

nice disse...

Olá,
Eu conheço o teacch e sei que realmente tem êxito, nem que seja apenas no sorriso que uma mãe quer ver, mesmo que mais nínguém veja.
Ainda bem que o teu joão te pode perguntar se tas tiste, já comunica, pois outros nem nunca o poderão fazer, mesmo com todo o apoio imaginário, o autismo tem destas coisas.
Beijinhos grandes e muita força