quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Mensagem: Pai do João

Talvez não seja correcto aquilo vou fazer, vou escrever, vou desabafar, mas na verdade, é o ponto de partida dos nossos problemas! Já não sei mais como sensibilizar o pai do João para o seu problema!

Sabe da existência deste blog, mas nem se dá ao trabalho de ler para se ir mantendo informado do que tem acontecido com ele, simplesmente porque são apenas desabafos meus... nem aproveitando pelo menos os jogos que disponibilizo para download e fazer com o João.

Quando será que o pai do João vai olhar para ele e perceber os direitos que o João tem de ser feliz? Mesmo que isso implique sacrificios, luta... ele não pediu para nascer doente...

Pai do João, o João sofre momentos de crise quando é submetido a alterações de rotinas, sem a respectiva prévia comunicação!
Pai do João, o João tem de ser informado para todo o tipo de alterações no seu dia-a-dia!
Pai do João, tens de perceber como as alterações de rotinas, introdução de elementos novos no seu ambiente, leva-o a ter uma crise e agredir tudo e todos os que se encontram à sua volta!
Pai do João, o João é um menino especial! Não é deficiente, mas sim uma criança doente.
Pai do João, embora a nossa familia esteja destruturada, isso não pode afectar de forma alguma o João. Ele tem de ser protegido disso! O primeiro passo é a aceitação da doença.
Pai do João, só com tratamento, atenção, paciência e principalmente muito amor, é que o João pode e conseguirá ser inserido na sociedade em que vivemos!
Pai do João, com muito trabalho de toda a equipa em volta do João, ele neste momento aceita o toque, aceita o TEU toque e o teu colo, olha-nos nos olhos, tem noção do perigo!
Pai do João, mesmo com os tratamentos por vezes continua a apresentar quadros de crises... mas se sabemos que podemos evitar! Porque não o fazer?
Pai do João, conseguindo evitar uma crise, evitamos a sua auto-agressão e a agressão a quem está próximo dele. Porquê não evitar essa angústia e tristeza no João?
Pai do João, todo o desenvolvimento intelectual do João está dependente de todos os estímulos que recebe! Pai do João, o amor pelos meninos é de igual forma, mas tens de conseguir admitir que com o João os cuidados são maiores!
Pai do João, a expectativa de vida do João é a mesma de qualquer outro individuo, como tal, é provavél morrermos antes dele. É necessário organização para garantir o futuro do João.
Pai do João, não tens como não aceitar. Também é teu filho e depende também de ti.
Pai do João, o João precisa de toda a equipa multidisciplinar de volta dele, para que não perca a consciência do "eu" que já conseguiu adquirir, e poder conseguir construir a sua identidade. É preciso ajudá-lo a estabelecer vínculo, a reconhecer o outro, melhorar a sua qualidade de vida e de quem vive à volta dele!
Pai do João, na ausência do tratamento, o João tem crises frequentes.
Pai do João, o João tem uma doença grave e para toda a vida.
Pai do João, o João pode ter uma vida independente, mas não pode ser abandonado.
Pai do João, o sucesso passa pela dedicação, interessa, carinho e acima de tudo vontade.
Pai do João, o João é muito ligado aos seus objectos e ao espaço onde vive.
Pai do João, todo a aprendizagem de comportamento social é conseguido através dos tratamentos, das terapias, e para além de ter que se começar o mais cedo possivel, jamais devem ser interrompidas e devem ser sempre seguidas pelas mesmas profissionais!
Pai do João, o João é muito sensivel a determinadas situações, em que muitas vezes o próprio contacto fisico e determinados sons, transformam-se em tortura. Até um perfume! Até mudar um móvel pode desencadear uma crise.
Pai do João, um ambiente tranquilo facilita e tranquiliza o João...

Isto não é uma novela...
É a realidade do João...


6 comentários:

Grilinha disse...

Minha querida

Sinto este teu post tão genuíno, tão verdadeiro. E apesar de estar longe dessa realidade, percebo muito bem tudo o que explicas. Tu assimilaste tudo isso de uma forma muito natural porque o amor e interesse de mãe são assim mesmo....
Muitas vezes não há nada para dizer para além do que já disseste.

Só votos que o Pai do João, que certamente vai começar a entender o que é melhor para o seu filho, irá assimilar, talvez demore apenas um pouco mais de tempo.

Um beijinho

lobitas disse...

Grande luta, por vezes é muito dificil quando os pais não estão em sintonia, por aqui nem sempre é muito fácil, há dias.
Uma sugestão, e se imprimisses este post e enviasses por carta ao pai do João em nome do joão, com certeza iria ler, pelo menos ia pensar um bocadinho.
Tudo de bom e muita força para a vossa luta e que tudo corra do melhor

paidopedro disse...

como pai de uma criança especial, embora com outros problemas diferentes dos do joão, não posso deixar de sentir de uma maneira muito forte este post. ainda não consegui perceber porque é que tantos pais nestas situações têm tanta dificuldade em encarar as realidades e olhar de frente para os seus filhos. espero que o pai do joão se consciencialize da importância determinante que tem no desenvolvimento e na vida do joão. fugir não resolve problema nenhum, apenas os agrava.

Mário Relvas disse...

Venho agradecer os dois comentários no meu blog.Não sei se foram feitos por si, ou se alguém o colocou lá, pois já é habitual.Também não estou para comprovar o IP.

Gostei do post sentido.Por vezes por a culpa um no outro é o pior remédio!

Caminhem de mãos dadas. Até podem estar longe um do outro, mas unam-se na educação e no amor ao JOÃO, que não tem culpa alguma das injustiças dos cahamados "normais"!

saudações e um sorriso

Anónimo disse...

É um grande acto de coragem escrever este post mesmo sabendo das consequências que daí pode surgir podem ser boas mas tambem ter o sentido inverso!
Foi um desabafo e fez bem em partilhar alivia-lhe a alma e pelo percebi a sua luta não é a mesma que a do seu marido e se lhe disse-se tudo aquilo que escreveu no post quem sabe se suas atitudes modificassem para bem de todos mas principalmente para bem do João!!!
Força...e muitos parabéns é uma grande MULHER!

Maria

Anónimo disse...

Olá Sofia,
As vezes sinto-me também tão sozinha e dou comigo a pensar que ser "o amor de mãe" é assim mesmo. Também sinto as vezes um desinteresse por parte do meu marido. As vezes tenho tanta pena que o meu marido não tenha "vontade" de pesquisar como eu a maneira melhor para ajudar o nosso filho. O livro do Tony Attwood ja o devorei enquanto o meu marido só leu umas 3 páginas, mas como sei que é assim, tenho falado com ele quase todos os dias sobre diversos assuntos que eu tenho lido e pesquisado, por isso faço muitos resumos, espero que tenha ficado alguma "coisa" lá dentro do coração e alma do meu marído...
um beijinho e força
mãe de K